Voto, direito ou dever?

2 10 2011

“O nosso país caminha para a conscientização política de seus cidadãos, quando o voto será mais conciente e não atrelado a um benefício, mas ainda não atingimos esse patamar.” Representantes da sociedade civíl

Em uma democracia, o ato de votar representa a principal característica deste regime, o poder nas mãos do povo. Porém, podemos levantar certas dúvidas com relação à esta forma de governo, principalmente aqui no Brasil. A história da democracia brasileira é conturbada e difícil de ser contada, com muitos altos e baixos, mas desde 1932 ela tem uma “cara” e um “estilo”: o voto obrigatório. Embora este seja o tipo de voto mais defendido pelos estudiosos de teoria política, sua alternativa, o voto facultativo, também apresenta características positivas e negativas. Vejamos algumas das características mais debatidas nos dois sistemas de votação:

VOTO OBRIGATÓRIO: Uma das características do voto obrigatório que é considerada uma desvantagem seria a de que a população, na maioria dos casos, só vota por obrigação, sem ao menos estudar ou pesquisar seus candidatos. Além disso, os políticos se aproveitam das pessoas mais pobres e menos informadas para oferecer algo em troca do voto. Deste modo, podemos identificar a unânime preferência dos políticos brasileiros pelo voto obrigatório, pois assim os candidatos podem se favorecer sempre deste tipo de eleição. O lado bom deste sistema é que a maioria dos cidadãos vota, logo, todos tem a responsabilidade de “arcar” com as consequências do seu voto. Ou seja, se a pessoa votou em um candidato e ele acaba se revelando um corrupto, não adianta reclamar. Tomar a decisão de colocar alguém para lhe representar apenas porque ele é carismático ou bonito é um erro, aliás, erro que só poderá ser corrigido depois de quatro anos.

VOTO FACULTATIVO: Este sistema possui diversas falhas, a começar pela falta de eleitores nas urnas, uma vez que neste sistema, geralmente, os eleitores não são estimulados a votar. Outro problema do voto facultativo é o fato de que só a elite opta por votar, uma vez que são pessoas mais esclarecidas e conscientes do poder do voto. O perigo aqui é o de que a grande parte da população acabe não participando do processo eleitoral. Os argumentos favoráveis a este tipo de voto são encontrados na própria definição de voto, afinal, sendo o voto um direito, e não um dever, o voto facultativo melhora a qualidade da eleição tendo eleitores conscientes e motivados.

Esta discussão sobre qual a melhor opção, voto facultativo ou obrigatório, tramita pelos salões do poder aqui no Brasil e é bem controversa. Boa parte dos parlamentares de direita são a favor do voto facultativo, enquanto que a outra metade quer o voto obrigatório.

E na sua opinião, qual seria a melhor forma de democracia para o nosso país?

Valdinei P. Franco, Andressa Wessling 2.2.B, Talita Correia 2.1.B  e Bruno de Macedo Flauzino 2.1.A

About these ads

Acções

Information

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s




Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: